domingo, 10 de outubro de 2010

Aprendendo com Davi - AMAmentação

Recém nascido pra mim sempre foi um enorme segredo, nunca havia pegado um no colo, por medo de machucar, afinal, eles são pequenos, molinhos, indefesos... mas quando você se torna mãe, as coisas mudam, você tem que pegar, afinal é você que provem o alimento, você que limpa, troca, banha, carinha, nina e faz tudo o que ele precisa, claro que as vezes você pode contar com o enorme apoio do pai, como é o caso aqui em casa...mas independente disso, por mais que você se prepare, ainda terá muito a aprender com esse pequeno ser.
Um dos meus maiores medo eram os banhos, mas agora não vou falar deles, vou falar da AMAMENTAÇÃO, depois de um parto normal, amamentar o meu filho era um dos maiores sonhos...sempre que vejo uma mãe amamentando me faz muito feliz, isso mostra o quanto as mulheres são abençoadas por Deus, pois além de gerarmos a vida, ainda a alimentaremos por um longo período.
Vamos ao inicio da nossa historia, Davi nasceu próximo a troca de plantão, portanto aquele primeiro contato que geralmente acontece na sala de parto, que logo após o nascimento o bebê é colocado pra mamar, nós dois não tivemos esse contato, a pressa do pessoal terminar tudo e sair correndo pra casa não permitiu, mas enfim, não podemos reclamar, fomos muito bem atendidos.
Como comentei no relato do parto, nosso encontro aconteceu na recuperação, foi algo bem mágico, é uma das imagens que não sairá jamais da minha cabeça. Me entregaram o Davi bem chororô, mas assim que ele me cheirou...rs...ele olhou em meus olhos e suspirou e já fui procurando o que chupar...foi fofo demais.
Eu havia lido muito e trocado perguntado bastante para outras mães sobre o assunto pois existem muitos mitos sobre amamentação, é um assunto que dá muito pano pra manga assim como os tipos de parto.Independente de qualquer coisa, o meu desejo é de amamentar meu filho até os peitos murcharem, pois além de achar lindo, sei da importância do leite materno para a criança.
Então voltando a nossa historia, colocaram o Davi no meu colo e ele já foi procurando, fiz uma pinça com as mãos como tinha aprendido no curso de gestantes e lá fomos nós, o bixinho mamou com uma vontade, sugava com força, parecia que o mundo ia acabar se ele não sugasse com o máximo de forças que conseguisse...foi bastante dolorido...ele mamou por volta de uns 20 minutos até ser levado pra terminar os protocolos do nascimento e pra eu poder ir pro banho. Depois nos encontramos novamente no quarto...lá estava mais duas meninas que haviam parido na mesma noite...uma era o segundo filho, a Elo, mãe do Gabriel, já tinha mais pratica, a outra era a Renata, mãe do Ricardo, e de primeira viagem assim como eu...logo que cheguei no quarto as duas estava amamentando seu rebentos...coisa mais fofa...e claro, que assim que meu pequeno chegou, fui amamentá-lo também, ele estava bem esfomeadinho.
Confesso que as primeiras vezes que eu o amamentei, foi bem difícil, tivemos dificuldade na pega, doía demais...os bicos racharam, sangraram...e a cada mamada eu quase chorava de dor...mas não desistimos não...continuamos tentando, tentando até nos acertarmos...finalmente lá pelo terceiro dia, conseguimos acertar a pega, e depois foi só esperar os bicos cicatrizarem.
Durante esse período, usei o próprio leite pois ouvi alguém comentar em algum lugar e também por orientação da profissional do banco de leite que nos visitou na maternidade...usei também a pomada Millar Hidrata, e logo os peitões estava melhores, com os bicos tinindo...rsrsrs...
Depois disso tem sido só alegrias, Davi mama a cada 3/4h...as vezes esticamos um pouco a mamada de dó de acordá-lo...suas mamadas duram de 30 à 40 minutos, e a cada termino ele faz uma cara de satisfação total que é uma graça (ainda tirarei fotos pra mostrar pra vcs)...
É um momento só nosso, papai fica até assistindo (pois é ele o responsável pelo arroto, nos dias que ele esta em casa)...aproveito esse momento pra alisar, cheirar, observar..é um momento de entrega...satisfaz nos dois...Davi mama, cochila, abre os olhinhos, olha pra ver se eu to ali ainda..rs...e volta a mamar...
E eu vou reforçar o coro de algumas mães, pra mim amamentar é sim um ato de amor...de AMOR, ENTREGA, DEDICAÇÃO...não vejo com uma obrigação ou ato mecânico, sim o bebê tem fome nós o alimentamos, mas é um momento de entrega, troca de energias...
Sei que algumas mães não conseguem amamentar por algumas razões, mas agora por comodismo, não concordo não. Mas não vou julgar não, cada um sabe de si.
Sei que aqui vamos continuar nos entregando e dedicando nesse momento tão lindo, e nosso gorducho vai mamar até o dia que ele quiser...se isso for com 18 anos...kkk...beleza...mas sério, eu mamei até os 4 anos, e vou amamentá-lo sim até o dia que ele enjoar...e que esse dia demore muito pra chegar.

PS: procurando artigos sobre amamentação a um tempo atrás encontrei um concurso de frases sobre o tema que foi promovido pela Santa Casa de Misericórdia de Guaratinguetá...guardei pois achei linda...compartilho com vocês:

"O aleitamento materno é como se fosse a água, regando uma semente para dar bons frutos!"
Frase da Mãe Carolina S. de Oliveira


Nossa primeira mamada do dia.

Relaxando após a mamada da tarde.


2 comentários:

Niara disse...

Que coisa fofa, parabéns mamãe!!!

Maternar Vida disse...

Olá!
Seu depoimento pode motivar aquelas mães que assim como você vivenciam as dificuldades da amamentação...parabéns pelo sucesso a partir da insistência.
Interessante, meu ultimo post foi justamente sobre isso.

Abraço

Maria Elisangela
www.maternarvida.com.br
http://maternarvida.blogspot.com/